Alerta Sobre Componentes dos Esmaltes Brasileiros

Amiga, sei você está cheia de trabalho e seu chefe está de olho no que você está vendo na net. Mas puxa a cadeira e vamos conversar. Há muito tempo que esperava uma análise dos componentes dos esmaltes nacionais. E o Proteste, associação de defesa do consumidor, analisou em parceria com um laboratório na França, a “santíssima trindade nacional” dos esmaltes: Colorama, Impala e Risqué. Agora falta o Inmetro fazer o mesmo teste e mostrar no Fantástico.

Acredito que informações mais completas somente para quem tem acesso à área restrita do site do Proteste. Mas as notícias que estão circulando dão algumas ideias sobre o resultado.  E foram encontradas substâncias que  causam alergias e que tem potencial carcinogênico. Falando em português: podem causar câncer. Mas 90% dos leitores da frase “podem causar câncer” vão interpretá-la como uma sentença condenatória: se tem a substância vai dar câncer. Não basta ter a substância, pois há uma série de fatores envolvidos. Cautela é sempre bom, lembrando de uma frase bem popular de Paracelso (médico, botânico e alquimista) que diz “a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”.

De acordo com o site do Proteste, analisados os componentes foram dibutyl phtalate (banido em cosméticos, inclusive esmaltes, em toda a Europa), nitrotoluene, toluene e furfural (compostos comprovadamente cancerígenos) duas marcas, Risqué e Impala, não estão de acordo com os parâmetros da legislação europeia para os limites considerados seguros para a saúde. Somente a Colorama e a linha hipoalergênica da Risqué estariam de acordo com as normas européias.

A regulação na Europa das substâncias encontradas nos esmaltes Impala e Risqué é a seguinte:

*Dibutilftalato – não pode ser utilizada em esmaltes ou qualquer outro cosmético na Europa (Diretiva 76/768/EEC 1976);

*Nitrotolueno –  banido da Europa pela diretiva 2005/80EC anexo2/1165;

*Tolueno – a quantidade máxima permitida na Europa é de 25%(250.000 mg/kg) de acordo com a Diretiva 2009/6/CE.

*Furfural – a quantidade máxima permitida na Europa é 360mg/kg de acordo com SCCNFP/0822/04.

A Impala e a Risqué justificam o uso das substâncias encontradas com o argumento que estão dentro do permitido pela legislação brasileira. Até aí nada errado, já que as empresas atuam no Brasil e tem que obedecer, obviamente à legislação nacional. Mas o que me preocupa é que o DBP (dibutilftalato) tem seu uso permitido no Mercosul. Logo a briga para retirá-lo dos esmaltes vai ser grande. O Proteste encaminhou ao Ministério Público e à Anvisa os resultados, pedindo a retirada das substâncias dos esmaltes nacionais.

Pesquisando sobre o assunto encontrei informações  sobre o uso de algumas substâncias dos esmaltes que valem a pena ser partilhadas. Cientistas da Universidade de Hamburgo, na Alemanha, constataram que o DBP, responsável pela “plastificação” do esmalte, em contato com a água pode ser absorvido através da pele. Como assim? Ao lavar as mãos, pequena quantidade de DBP é retirada do esmalte. Por isso é que ao final de três dias de uso muitos esmaltes estão “rachados” e descascando. O DBP contido na fórmula original foi retirado, mesmo com o esmalte seco. (Parabéns Lizzie… agora você sabe que aquelas leitoras que reclamam que o esmalte descascou no dia seguinte são mais limpinhas pois lavam mais as mãos -brinks gente 😀 ). E ao ser diluído na água ele é absorvido pela pele, multiplicando a sua absorção. Se estivesse estável no esmalte seco a exposição ao DBP seria insignificante. Ainda que a quantidade de DBP seja mínima nos esmaltes, se há substitutos, por que não usá-los? Pode não fazer mal por ser pouco, mas talvez evitar o contato seja mais prudente.

A Revista Glamour internacional publicou aqui uma matéria interessante sobre os riscos dos cosmésticos, que dentre outras coisas de uso cotidiano  – como uma inocente garrafa plástica – podem estar atuando sobre a saúde reprodutiva das mulheres.

Não sou especialista no assunto, mas me preocupo com a presença do tolueno, formaldeído  e DBP  em alguns esmaltes nacionais. Se não há provas que causem malefícios aos seres humanos porque foram retirados dos esmaltes europeus? Mesmo que tenha sido por precaução, não vejo nada de errado nos consumidores brasileiros que querem o mesmo dos esmaltes nacionais. E a hora está mais do que oportuna, com o crescimento das vendas e aumento dos blogs especializados. Quem quer esmalte “do bem” levanta a mão aê.

Anúncios

40 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Luciana Petrópolis RJ
    maio 04, 2011 @ 11:14:11

    Eu quero esmaltes do bem o/
    haha
    Bem, a Impala eu já não uso… mas a Risqué, Ana Hickmann, Hits, entre outros, estão esperando o que para se adequarem aos padrões internacionais hein????
    O Brasil tenta tanto ser um país equiparado aos de primeiro mundo em tantos fatores, por que em um detalhe tão simples não se importam não é? Afinal, nós brasileiras estamos lá nas primeiras posições do ranking de compra/uso de produtos de beleza!!! Ou seja, não é algo que só meia dúzia de gatas pingadas usam só lá uma vez ou outra ¬¬
    Vale a dica para os fabricantes: Vamos acordar!!!
    =*

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 04, 2011 @ 11:50:35

      Esqueci de colocar no post: esmaltes do bem com preço bom, né? rsrsrs
      Ludurana é super em conta e é 3Big Free. Se tivesse sido incluida no teste e a análise confirmasse que é hipo a marca ganharia mais fãs. E quem sabe ainda fortalecida para competir.
      =*

      Responder

      • Luciana Petrópolis RJ
        maio 05, 2011 @ 11:56:22

        Verdade! Não é porq

      • Luciana Petrópolis RJ
        maio 05, 2011 @ 11:57:47

        Completing…
        Não é porque eles estão fazendo a obrigação deles de venderem algo que não vá prejudicar nossa saúde, que devem jogar o preço dos esmaltes 3bigfree lá nas alturas né?!?!

      • esmaltesempre
        maio 05, 2011 @ 14:14:32

        Às vezes desanimo. A ANVISA, que regula as normas dos esmaltes brasileiros, poderia se reunir com os fabricantes e ver se ficaria mesmo tão caro usar substâncias menos tóxicas, né? E o Inmetro poderia testar logo outros hipos para checar se tá tudo direitinho.
        =*

  2. Roberta
    maio 04, 2011 @ 14:12:35

    Eu quero esmalte do bem! =D
    Aqui em casa meu pai assina a revista Proteste. Chegou ontem e eu vi na capa que tinha teste de esmaltes. Depois vou pegar a revista para ler a matéria toda. E vou tentar digitalizar para te enviar. Talvez tenha alguma informação além da que você conseguiu ver no site.

    Ludurana é tudo de bom! Hipo e muito barato! Comprei meus craquelados da marca por menos de 1,50! Isso prova que é possível fazer esmaltes 3Big Free com qualidade e preço justo. Não entendo porque as grande empresas permanecem usando esses componentes.

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 04, 2011 @ 15:07:01

      Obrigada Roberta. 😀 O email é esmaltesempre@gmail.com
      Também sou super fã da Ludurana. E vc está certíssima pois o preço da Ludurana mostra que é possível ter respeito pela nossa saúde e cobrar o preço justo. Também não entendo a teimosia de algumas das grandes empresas. Uma pena não terem avaliado a Ludurana também.

      Responder

    • Mara
      jun 03, 2011 @ 21:40:59

      Olá Querida! Onde conseguistes tão barato o Ludurana! Aqui chego a pagar 3,50 na minha cidade no Rio grande do sul! Compras pela internet direto da ludurana, em quantidade sai mais barato! Se puderes me responder agradeço pois luto aqui tambem por esmaltes livres destas toxinas pois me fazem muito mal! E muitas aqui tambem sofrem!! Obrigada!!

      Responder

  3. Ninel G
    maio 04, 2011 @ 14:58:59

    Oi, Querida
    Ótimo post. É bom tentar despertar nas pessoas o desejo por produtos melhores. No exterior conseguem fazer bons produtos a preços módicos. E até aqui conseguem. O consumidor deve procurar valorizar os produtos que buscam causar menos danos à saúde.
    Beijos 🙂

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 04, 2011 @ 15:08:45

      Oi!
      Obrigada. Sim, no exterior esmaltes Big3Free são baratos.
      Ao menos o ProTeste avaliou que a Colorama e a linha hipoalergênica da Risqué poderiam ser vendidos na Europa, por estarem de acordo com a regulamentação de lá. Fiquei curiosa para saber mais sobre a composição de outras marcas nacionais.
      Bjsss.

      Responder

  4. Eda
    maio 04, 2011 @ 15:37:36

    Lizzie,
    O post ficou maravilhoso! Excelente trabalho de pesquisa. Está completo, informativo, atual e, ao mesmo tempo, bem fácil e agradável de ler. Vc está sempre se superando, Lizzie, PARABÉNS!

    Responder

  5. Simone Lisboa Brito
    maio 04, 2011 @ 18:18:43

    Nossa, muito bom o post!
    E fiquei com medo, porque eu, vira e mexe, uso uns esmaltes tabajaras hahaha.
    Mas tenho o corpo fechado pra qualquer mal de qualquer esmalte hahaha.

    Beijos.

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 04, 2011 @ 19:51:32

      Obrigada.
      #euri do corpo fechado. Já arrepiei de pensar nos resultados. rsrsrs Ou seria uma surpresa legal. Quem sabe?
      Procuro alternar o uso dos hipo com os não hipo. Pelo que li até agora sobre o câncer não há pesquisas ainda que comprovem que ocorre em pessoas pelo uso de esmaltes. Ufa!!!
      Bjsss.

      Responder

      • Simone Lisboa Brito
        maio 05, 2011 @ 17:55:16

        Nossa, ufaa mesmo hahaha.
        Mas é o que falei pra minha mãe ontem (ela é manicure), em todos esses anos nunca ouvi falar que alguém morreu de câncer pelo uso de esmaltes!
        Essas notícias acabam surgindo por causa dessa febre que se tornou o esmalte, né?
        Beijos.

      • esmaltesempre
        maio 06, 2011 @ 01:02:39

        É tanta informação, que tem horas que “o sistema” trava – dá um nó na cabeça. rsrsrs Tenho a sensação de que quanto mais leio, menos entendo. Mas quem sabe a onda dos esmaltes incentive a divulgação de informações simples, mais fáceis de serem entendidas.
        Bjsss.

      • Simone Lisboa Brito
        maio 06, 2011 @ 18:35:33

        Com certeza, Lizzie!
        Beijos.

  6. Rose
    maio 05, 2011 @ 15:09:39

    Bom acabei de confirmar que sou limpinha, porque meus esmaltes duram no máximo 2 dias :))
    Engraçado a resposta dos fabricantes, não é? Traduzindo, faz mal, mas é permitido por uma legislação fraca, vamos usar porque senão vai ficar caro adaptar o maquinário etc., ou seja, o importante é o dinheiro.
    Se um pouquinho não fizesse mal, pessoas que usam durante anos não desenvolveriam alergia (eu).
    Vocês sabiam que mulheres grávidas não podem usar esmaltes comuns? Pois é, eu também não, só descobri recentemente, quem tem Impala pode ler isso no rótulo.
    Esmaltes hipo da Impala e da Risque só encontro em cores de vó, apesar de a Impala informar que tem coleções hipo. (Viva a Ludurana)
    E última coisa que já escrevi demais (desculpa), já pensou se tivesse uma comprovação de doença grave causada por esmalte e o público brasileiro fizesse como os americanos em relação aos cigarros? Ia ficar bem caro pras empresas.
    Beijo

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 06, 2011 @ 00:55:07

      A minha irmã também é limpinha… só duram dois dias os esmaltes nela. Como só lavo louça de luvas, pode ser por isso que meus esmaltes duram mais. 😀
      Andei pensando se a Anvisa não seria o melhor lugar para tentar mudar. Pelo que entendi, acho que é de lá que vem a permissão para usar tais substâncias. Parece que a maioria das pesquisas comprova que são possíveis de causar alergia também em pessoas, e isso pode estar sendo considerado um “mal menor”. É tudo muito complicado para leigos. Tem horas que não consigo organizar tanta informação. rsrsrs
      A gravidez é um momento muito delicado, né? Precaução nunca é demais nessa hora.
      Pode escrever à vontade querida.
      Bjsss.

      Responder

  7. Liginha
    maio 07, 2011 @ 10:07:46

    Parabéns para o post, excelente. Ele revela o qto este blog é sério. Eu assino a revista PROTESTE, pq acho que o próprio consumidor deve se respeitar e procurar saber a realidade sobre os mais diversos produtos disponíveis no mercado. Somos nós, consumidores, responsáveis diretos tb por regular o que o mercado coloca à disposição. Qto mais conscientes e exigentes somos, melhores produtos teremos.
    Vc falou mto bem: se Europa e EUA têm legislação proibindo o uso destas substâncias potencialmente tóxicas e cancerígenas, é pq não são boas. Não se chegaria ao ponto de proibí-las sem que fossem feitas pesquisas.
    Eu não sou alérgica a esmaltes, mas passei a me preocupar c/ as fórmulas nacionais depois que comprei um esmalte Azul Royal da Impala. Meus olhos ficaram inchados, vermelhos e lacrimejantes, o que só cessou qdo retirei o esmalte. Experimentei outros tons de azul da marca, como o Sereia, e de outras marcas, como Big Universo. O mesmo aconteceu. Procurei ler sobre o assunto e me parece que há cores que têm mais concentração de tolueno, que, se não me engano, é responsável pela fixação da cor.
    Qto ao DBP, foi novidade pra mim as informações que vc trouxe. Ótimas.
    Escrevi p/ vários blogs de esmaltes, que são bastante acessados, mas ninguém se preocupou em fazer um post e discutir a fundo o assunto. Ao que me parece, tem blogueiras que não querem desagradar marcas, o que me leva a questionar a isenção delas.
    Tenho dado preferência à Colorama e outras marcas nacionais que não tem tolueno, formaldeído e DBP na fórmula. Parece que a mica, presente nos esmaltes cintilantes, tb não é legal.
    O que a revista PROTESTE tb colocou bem é que a Colorama não cobra mais caro pelo esmalte pq não tem estas substâncias, sendo que outras marcas cobram mto mais caro pela fórmula anti-alérgica.
    Meninas, temos de ser exigentes não só c/ a variedade de cores e efeitos dos esmaltes, mas principalmente c/ a fórmula.

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 07, 2011 @ 13:10:41

      Obrigada Liginha. Me sentiria muito mal não divulgando as informações.
      Não é tão comum assim, mas parece que alguns pigmentos podem causar alergia. A minha irmã é alérgica ao tolueno e também ao pigmento verde. Neste post falei sobre isso: https://esmaltesempre.wordpress.com/2010/10/29/esmaltes-para-alergicas/
      Acredito que a Colorama, por pertencer à L’oreal – gigante mundial de cosméticos – deve ter sido “chamada a rever seus conceitos”. rsrsrs Ainda bem para nós que “foi obediente”. 😀
      Ainda continuo lendo sobre o assunto e pelo que encontrei, o DBP afetou a saúde dos trabalhadores de fábricas que ficaram inalando por muito tempo e ao longo de anos, o produto. Mas é como falei, mesmo que tenha bem pouco nos esmaltes, na minha opinião leiga seria melhor evitar.
      Fiquei uma consumidora mais crítica depois que morei fora. Nos EUA, só para citar um exemplo de respeito ao consumidor, estava na fila do supermercado e o gerente pediu licença para recolher o dinheiro do caixa. “Prestenção”: não chegou e fechou o caixa e eu que me ferrasse indo para o fim de outra fila. Respondi que sim. Depois que terminou (e foi super rápido), ele agradeceu a “minha compreensão” e disse que poderia escolher qualquer item da minha compra para levar de graça “pelo inconveniente causado por ele”. Nesse dia “caiu a ficha” do quanto o caminho é longo no Brasil para sermos tratados com dignidade.

      Responder

  8. Liginha
    maio 29, 2011 @ 11:45:59

    O Brasil tem um longo caminho mesmo, interessante este caso que vc contou.
    Vc pesquisa mesmo, gostei de saber dessa estória da fábrica.
    Então, está explicado o comportamento da Colorama, não sabia que era da L´Oreal!
    Bem, o que fiquei sabendo estes dias é que tons de azul podem levar sulfato de níquel na fórmula, no caso das marcas que usam substâncias sem critério. Só não sei ainda se o sulfato de níquel oferece risco e qual é, mas talvez seja ele o responsável por eu não suportar o cheiro dos esmaltes desta tonalidade e ficar c/ os olhos inchados e lacrimejantes, mesmo não sendo alérgica.

    Responder

    • esmaltesempre
      maio 29, 2011 @ 12:54:47

      Ih, não sabia dessa do níquel. Algumas pessoas tem alergia ao níquel presente em bijouterias e relógios. Por isso algumas bijous trazem escrito na etiqueta que não contém níquel.

      Responder

  9. kelly
    jun 21, 2011 @ 12:21:39

    falei com o represente da risque eles me falaram que estão dentro dos padrões do imetro, ficarei acompanhando sobre o assunto, gostaria que vcs colocassem a matéria em rede nacional para nós consumidoras ficarem ciente sobre o asssunto agradeço alquer coisa me informe quando essa matéria for ao ar

    Responder

  10. margarida
    abr 30, 2012 @ 20:42:01

    ola ,poise concordo com tudo isso,inclusive tenho algumas clientes que estavam com alergia e foram ao dermatologista e ele falou que era do esmalte,e disse que era só para usar colorama entao elas estao usando e acabou a alergia.só acho que eles deveriam tirar a rique do mercado entao.

    Responder

  11. Heloisa
    jun 05, 2012 @ 15:14:26

    Eu estou jogando os meus fora, agora vou comprar só os importados kkk

    Responder

  12. Lorrane
    dez 27, 2013 @ 17:06:49

    Olá.. adorei suas dicas.. mas e os esmaltes das hits de fato eles são bons?!

    Responder

    • esmaltesempre
      dez 27, 2013 @ 22:05:57

      Oi Lorrane!

      Infelizmente já tive muitas decepções com a marca. Em 2010 a Coleção Delícias de Verão teve várias cores que mudaram dentro do prazo de validade. Chá Gelado, Biquini, Manacá e Gelatina foram os mais “atingidos pela mutação”. Depois em 2011 o Mabi. Em 2012 os esmaltes Hello Kitty ficaram com o fundo todo esbranquiçado também dentro da validade. De fato quase que imediatamente após a compra. Também em 2012 vários esmaltes da Coleção Glitters World ficaram com a base – que era incolor – manchada pelo pigmento dos glitters que “escorreu”. Assim como alguns glitters da Coleção Mari Moon tiveram a base evaporada mesmo vedando bem o vidro e se tornaram impossíveis de usar antes de estarem vencidos. Isso aconteceu também com vários da Coleção Glitters World. Por esses problemas todos quase não compro mais esmaltes da marca. Mas há quem goste e elogie. Infelizmente não tive sorte. 😦
      *Desculpe a resposta gigante. rsrsrs

      Bjsss, Lizzie.

      Responder

  13. Ellyka
    ago 26, 2014 @ 08:30:02

    Amei o post… bem completinho. Uso os esmaltes da Colorama desde que descobri que eles não contêm Tolueno e Formaldeído (sou alérgica a esses componentes). No entanto, os últimos esmaltes que comprei “Rock – linha Cintilante”, “Natural – linha Transparente” e “Azul – linha Verniz & Cor” provocaram alergia em mim e na minha mãe, ainda que na embalagem afirmasse que eles não continham Tolueno e Formaldeído. Todos estão dentro do prazo de validade e só vencem em 2016, 2015, 2016, respectivamente. Não consegui ler no rótulo se eles contêm DBP. Mas agora vou ficar atenta com relação a esse componente.

    Beijos 😀

    Responder

    • esmaltesempre
      ago 26, 2014 @ 11:58:21

      Oi Ellika!

      Como as cores que vcs usaram são bem diferentes entre si, não sei se valeria para vc e sua mãe. Mas alguns pigmentos ou corantes nos esmaltes também podem causar alergia. Nesse post falo sobre isso: http://wp.me/p15xkX-5Z E a mica do esmalte cintilante também pode causar alergia.
      Vcs usaram o top coat “roxinho” da marca, a Cobertura Intensificadora da Cor? A marca agora diz que esse top coat não é 3Free. Ainda não achei os lotes novos para fazer um post sobre isso. Assim que encontrar farei novo post sobre alergia. Para tentar ler o rótulo sugiro que vc tire uma foto usando a função macro da câmera ou celular. Geralmente o símbolo é uma florzinha. 😉 Ou use uma lupa de leitura mesmo. Comprei uma na papelaria só por causa dos esmaltes. rsrsrs
      Tente entrar em contato com a Colorama. Mas não se anime, viu? Nas vezes que precisei de esclarecimentos sobre os componentes nunca recebi resposta. Mas quem sabe vc tem mais sorte? 😉

      Bjsss, Lizzie.

      Responder

      • Ellyka
        ago 26, 2014 @ 12:11:02

        Oi Lizzie, obrigada pela atenção :D. Amei o blog e já indiquei para outras amigas que são alérgicas e outras que são amantes de esmaltes \o/ – Voltando ao post… já usei a Cobertura Intensificadora da Cor e senti alergia (não imaginei que tinha sido ele, pensei que tinha sido o esmalte), mas dessa vez não apliquei. No entanto, eu usei spray de secagem rápida, só não lembro a marca agora. Você sabe se eles contêm produtos que causam alergia? Beijos

      • esmaltesempre
        ago 26, 2014 @ 13:25:32

        Feliz que vc esteja gostando do blog. 😀 Por nada Ellyka! Estou aqui para ajudar já que as informações sobre alergia são sempre difíceis de encontrar em um só lugar.
        Não sei dizer quais os componentes do spray. Acho que não causam alergia. À noite atualizarei o comentário depois de ver os rótulos, ok? 🙂
        *Tenho o secante da Dote e a fórmula dele é: propane, butane, cyclomethicone e parfum.

        Bjsss.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Arquivos