Alérgica a esmaltes? Não esqueça de ler o rótulo antes de comprar

Ao contrário do que pensei nem todos os esmaltes Risqué e Impala estão livres de tolueno ou de resina de formaldeído ainda. As fotos de dois esmaltes falam por si:

renda-paetê-risqué SAM_4085

Validade Renda Paetê SAM_4095

rótulo-renda-paetê SAM_4091

rótulo-impala-arrasa-validade SAM_4087

rótulo-impala-arrasa SAM_3772

Desculpem mas tenho que ser repetitiva. Não há uma divulgação oficial das marcas sobre os esmaltes serem livres de tolueno, formaldeído/resina de formaldeído e DBP. Até onde sei as marcas estão testando as fórmulas e por isso não anunciaram a mudança. Mas nas redes socias, entre as apaixonadas por esmaltes, já circula há um tempo essa novidade . Qual a alternativa então para as alérgicas?

Faz muito tempo que estou para dar essa sugestão. Sei que vocês irão rir. Mas antes “pagar mico” do que ter uma crise de alergia, não? A solução é carregar uma lupa pequena na bolsa. Ou tentar comprar os esmaltes nas lojas ou farmácias que vendem no blister – embalagem de papelão. Algumas lojas não tem uma boa iluminação então só em casa consigo ler os rótulos dos vidros. Mas a grande maioria  é impossível de ler sem uma foto macro. Quem tem smartphone com uma excelente câmera pode tentar uma foto na loja. Legal mesmo seria se viesse uma etiqueta como a que a Impala usou na coleção Color Force  – post aqui – com letras possíveis de serem lidas. E não estou falando que somente a Risqué ou a Impala deveriam melhorar seus rótulos. As outras marcas precisam melhorar também.

Fiquei super chateada com essa descoberta pois estava toda animada com a evolução da indústria nacional. mimimi Sempre dou preferência aos esmaltes 3Free pois troco muito de esmalte. Como são menos nocivos melhor evitar os outros, né?

Meu lado otimista ficou com uma dúvida… Será que os esmaltes são 3 Free e os rótulos ainda não foram atualizados? #tenso

Anúncios

18 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Priscila
    out 02, 2013 @ 13:02:35

    Oi Lizzie,
    Ótimo post! Tem um outro que vc escreveu em 2011, que considero igualmente importante, e que me chamou bastante atenção para os problemas de um esmalte que não é 3 Free. https://esmaltesempre.wordpress.com/2011/05/04/alerta-sobre-componentes-dos-esmaltes-brasileiros/
    Inclusive, relendo este outro post de 2011, encontrei uma justificativa para as rachaduras dos esmaltes, que andam me incomodando…
    E concordo com vc. Levar a lupa ou comprar os esmaltes em blister vai ser o jeito, pra quem necessita ou não quer usar produtos com tais componentes.
    É pra se pensar porque a gente, aqui no Brasil, ainda está sujeito a usar produtos que são proibidos em outros países…
    Apesar de não ser (ainda…) alérgica aos componentes dos esmaltes, eu tb tenho dado preferência a comprar produtos 3 Free. Eu já tenho muita coisa na caixinha que não é 3 Free, e isso me incomoda, pois os riscos não são brincadeira…
    Bjs e obrigada, mais uma vez, pelo importante alerta!
    Pri

    Responder

    • esmaltesempre
      out 02, 2013 @ 22:37:59

      Ainda bem que vc não riu da lupa Pri. rsrsrs Mas temos que ser criativas, né? Escolho o “menor dano”. Antes “pagar mico” do que se expor aos “veneninhos”. Tenho verdadeira aflição quando vejo grávidas usando esmaltes que não são 3Free. É um período tão especial que não custa tanto assim fazer escolhas mais saudáveis.
      Já li comentários sobre a durabilidade menor dos 3Free. Comigo não tem diferença. Todos duram 8 dias – se tiver paciência para usar a mesma cor por tanto tempo. 😉 Vc já observou se as rachaduras são com alguma marca específica?
      As vendas no Brasil continuam também porque os consumidores não exigem esmaltes 3Free. E algumas empresas ainda insistem em cobrar muito mais por esmaltes assim. E falta de esclarecimento sobre os problemas que tais substâncias podem vir a causar completa o “cenário”. Porque tem gente que “olha de cara torta” e “acha frescura” já que “nunca soube de ninguém que morreu por causa de esmalte”. Então tá, né? 😉

      Bjsss.

      Responder

      • Priscila
        out 03, 2013 @ 00:56:19

        Oi Lizzie,
        Eu tb fico com aflição de ver grávidas se arriscando a usar produtos perigosos…
        Parece que as pessoas são bem inconscientes dos problemas que essas substâncias podem causar no futuro, e a gente realmente não tem uma cultura forte de defesa dos direitos do consumidor aqui no Brasil… Por isso que não rio da sua ideia de usar a lupa… No fim das contas, talvez seja uma das poucas opções que a gente vai ter pra se proteger na hora das compras. O fato de as grandes empresas se acharem no direito de colocar rótulos com letras tão minúsculas nos produtos já é um grande desrespeito ao consumidor. Por mim, esmalte só seria vendido no blister, apesar do impacto maior no meio ambiente. Aliás, eu dou preferência ao blister, pois sei que ninguém “experimentou” o esmalte antes de mim, e consigo ler a composição dessa forma.
        E que maravilha poder usar um esmalte por 8 dias!!! Algum dia eu chego lá!!!
        Eu ainda estou fazendo os meus testes pra ver o negócio das rachaduras, mas acho que o que vc falou no outro post de 2011 pode ter algo a ver com isso: que quando lavamos as mãos, uma pequena quantidade de DBP é retirada do esmalte, e aí ele racha.
        Eu já vi gente usando esse argumento do “isso é frescura” para pessoas alérgicas. A pessoa pode não morrer, mas sofre os efeitos da alergia, perde tempo procurando médico, gasta grana com remédio, fora o impacto na parte emocional. Eu já tive que brigar com muita gente que achava que alergia alimentar era coisa da minha cabeça, “frescura”. “Amigos” já tentaram me dar, escondido no meio da comida, coisas que me causavam reações sérias. Infelizmente a gente vive no meio de muita gente ignorante…
        bjs

      • esmaltesempre
        out 03, 2013 @ 12:05:44

        hahaha Também prefiro em blister para ter certeza que ninguém “testou” antes o esmalte. 😉

        Bjsss.

  2. Cláudia Pereira
    out 02, 2013 @ 14:47:12

    Oi
    Que bom que você deu o alerta. Depois das coleções novas serem 3free, fiquei achando que de agora em diante todos seriam assim. Comprei (tem mais ou menos um mês e meio) um glitter da Impala e quando cheguei em casa é que fui ler o rótulo e encontrei os “veneninhos”. Conclusão, comprei o que não posso usar. Vejo alguns da Risqué que tenho vontade de ter, chego até a pegar na mão e ponho de volta na prateleira porque não consigo ler o rótulo e não quero repetir o erro anterior. Já tinha pensado em andar com uma lupinha na bolsa rsrsrs…
    Os esmaltes da Hits, é que vem fazendo essa mudança até mesmo nos esmaltes que já existiam. Tenho facilidade de encontrar por aqui e é comum ver a mesma cor com um vidrinho normal e do lado o vidrinho 3free.
    Esse seu post foi de utilidade pública 🙂
    O jeito é ficar de olho mesmo.
    Obrigada, Lizzie.
    Beijinhos.

    Responder

    • esmaltesempre
      out 02, 2013 @ 23:24:38

      Ô Cláudia… Que chato ter comprado logo um que não era 3Free. 😦 Acho que valeria a pena investir na lupinha, hein? Tenho uma gigante com luz que uso em casa para os rótulos impossíveis.
      Nem lembrei da Hits. O.O Deixei de comprar a marca depois dos problemas da Glitter’s World. E com isso acabo esquecendo de fato que ela é 3Free. rsrsrs
      Legal poder ajudar com as informações. 🙂
      Por nada querida.

      Bjsss.

      Responder

  3. Eda Puertas
    out 02, 2013 @ 19:13:33

    Post de suprema utilidade pública. Eu mesma andei (des)informando algumas alérgicas sobre as novas coleções da Impala e Risqué. Não dá mesmo para confiar em algumas empresas.
    Obrigada! Bjs

    Responder

  4. Helen Bezerra
    out 02, 2013 @ 19:51:54

    Excelente postagem amada!
    Não tenho problema graças a Deus, mas conheço algumas pessoas que tem!
    Vou recomendar essa postagem!
    Beijos

    Responder

  5. Barbara
    out 02, 2013 @ 23:35:09

    Excelente post de grande utilidade e informativo,pois vale tudo para se evitar uma crise alérgica…..adorei a ideia da lupa ….kkkkkkkkkk!!!!!beijos

    Responder

  6. purplehika
    out 02, 2013 @ 23:38:59

    Avisei sobre isso num grupo do face ontem. Vi uns Risqué com vencimento pra 2016 que não eram 3 free. Um saco mesmo.
    Não ando com lupa porque sou míope, então enxergo MUITO bem de perto e sempre consigo ler, mesmo sem blister XD

    Responder

  7. lucianaalbernoz
    out 03, 2013 @ 11:59:02

    Adorei o post Lizzie!!! Tb parei para pensar por esse lado… Vai que na hora de envazar os esmaltes aproveitaram rótulos antigos??? Tudo é possível rs

    Responder

  8. Necessaire de Mulher
    out 11, 2013 @ 22:00:08

    Oi, Lizzie… as embalagens em blister da Impala agora vêm com uma lista enorme dos esmaltes divididos em GRUPOS e seus respectivos componentes. E, claro, vem a informação a que grupo a cor pertence. Negócio é a Anvisa proibir logo tudo e pronto, acabou.

    Beijocas.
    Fabi.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: